Davos: os desafios e oportunidades de um futuro dominado pela IA

Este ano, a Adecco teve o privilégio de ser representada pelo seu CEO, Denis Machuel, no prestigiado Fórum Económico Mundial, realizado em Davos.

Neste evento de grande importância global, foram discutidos temas cruciais que impactam diretamente a sociedade e as empresas contemporâneas. Entre eles, destacam-se a reconstrução da confiança, o papel cada vez mais preponderante da inteligência artificial (IA) e a crescente importância da responsabilidade empresarial.

Ao recapitular as participações e debates ocorridos durante o evento, é possível extrair insights valiosos sobre as complexidades e oportunidades que se apresentam na interseção entre tecnologia, emprego e inclusão social.

A reconstrução da confiança emergiu como um tema central, evidenciando a necessidade urgente de restabelecer a confiança entre as empresas e a sociedade. O papel desempenhado pelas empresas nesse processo torna-se crucial, e exige um compromisso sólido com a transparência e a ética nos negócios.

No que diz respeito à inteligência artificial, ficou claro que essa tecnologia está a moldar profundamente o panorama do emprego. É imperativo reconhecer as oportunidades que a IA proporciona, ao mesmo tempo que enfrentamos os desafios associados, como a requalificação profissional e a garantia de que o progresso tecnológico seja inclusivo e beneficie toda a sociedade.

Uma visão menos positiva destaca a possibilidade de redução das competências dos trabalhadores, uma vez que as máquinas assumem tarefas. Contudo, há otimistas que identificam oportunidades, citando relatórios como o Global Workforce of the Future, que indica que 62% dos trabalhadores veem a IA como benéfica. A discussão sobre o impacto da IA é crucial e as empresas devem adotar uma abordagem regulamentar e ética.

Vamos assistir a uma revolução na aquisição de competências incluindo a preparação de mil milhões de pessoas para a economia do futuro. A IA generativa deverá ser utilizada para colmatar lacunas, ou seja, como uma verdadeira ferramenta para ampliar oportunidades e reduzir disparidades.

Deve ser atribuída prioridade às competências humanas, com ênfase especial na capacitação, visando impulsionar transformações significativas no mercado de trabalho.

A transformação empresarial na era da IA exige reflexão e ação responsável. Enquanto exploramos as oportunidades oferecidas pela tecnologia, devemos também abordar os desafios, reconstruir a confiança nos negócios e comprometer-nos com a inclusão. Está nas mãos das organizações criar um futuro equitativo, capacitar as pessoas, independentemente das mudanças tecnológicas. Acredito que, ao agir com responsabilidade, podemos moldar uma era de prosperidade sustentável e inclusiva para todos. As empresas não devem fugir ao compromisso de agir de maneira ética e contribuir para o bem-estar da comunidade em que estão inseridas.

Nesse contexto, as complexidades e oportunidades na interseção entre tecnologia, emprego e inclusão social revelam-se inseparáveis. O desafio é encontrar soluções que permitam o avanço tecnológico sem deixar ninguém para trás, e garantir que o progresso seja equitativo e benéfico para toda a sociedade.

Em síntese, as reflexões procedentes do Fórum Económico Mundial apontam para a necessidade de uma abordagem holística e responsável por parte das empresas diante das transformações em curso. Apenas através do compromisso com valores éticos, transparência e inclusão será possível trilhar o caminho para um futuro em que a tecnologia seja um instrumento de prosperidade para todos. O desafio está lançado, e a liderança da Adecco no debate dessas questões mostra-se fundamental para inspirar ações positivas e transformadoras no cenário global.

Todos os meses lançamos a nossa newsletter, a qual dá a conhecer os nossos próximos eventos (almoços de empresários, torneios, seminários, conferências) e atividades formativas. Também pode consultar as notícias dos nossos associados.

Subscrição

Editamos, mensalmente, a revista Actualidad€ Economia Ibérica, a qual conta com mais de 30.000 leitores. Distribuída em ambos os países a nível empresarial, a associados e não associados e a entidades oficiais, sendo um excelente veículo de promoção.

Subscrição

A Actualidade-Economia Ibérica é uma revista mensal de informação geral, que pretende dar, através do texto e da imagem, uma ampla cobertura dos mais importantes e significativos acontecimentos nacionais e internacionais, com destaque para a atividade económico-financeira de âmbito ibérico.

A Actualidade-Economia Ibérica é independente do poder político, económico ou outros, procurando uma abordagem objetiva dos temas e de interesse para o público em geral.

A Actualidade-Economia Ibérica identifica-se com os valores da democracia pluralista e solidária e defende o pluralismo de opinião.

A Actualidade-Economia Ibérica assume o compromisso de respeitar, no exercício da sua atividade, o cumprimento rigoroso pelos princípios deontológicos e pela ética profissional dos jornalistas, assim como pela boa fé dos leitores.

A Actualidade-Economia Ibérica pauta-se pelo princípio da distinção entre informação factual e opinião, as quais devem ser claramente separadas e identificadas e repeitando sempre o princípio da boa fé.
Em vigor desde a fundação da revista, em 1971.

A única revista de informação especializada, útil e de qualidade do mercado ibérico. Um excelente veículo de comunicação e promoção no âmbito das relações empresariais.